Phone
(11) 5561-5241 / 5531-0726

Blog

Como ocorre a formação de cálculos urinários: video incrível

May 25, 2017

Este vídeo extremamente interessante demonstra a formação de cálculos renais, os diferentes tipos de cálculos e como previno-los. Mostra ainda o processo de migração ao ureter, desencadeando a ureterolitíase e consequentemente a cólica renal. Pode então ocorrer eliminação da pedra para a bexiga, ou eventualmente há a necessidade de cirurgia endoscópica e fragmentação com laser (ureterolitotripsia). A melhor forma de enfrentar um problema é conhece-lo, e com estas informações tudo fica mais simples.


Os maiores mitos sobre pedra nos rins

May 21, 2017

Clique aqui Mitos sobre pedra nos rins

Algumas crenças comuns sobre pedras nos rins podem ser considerados mitos, sem qualquer evidência científica. Outras crenças que consideramos controversas e é provável que também esteja incorreta, baseado na opinião de especialistas.

Mito 1. Eu tenho uma pedra nos rins por causa da minha ingestão de cálcio.

Apesar do cálcio ser um componente importante em 75% de pedras, ingestão excessiva de cálcio é muito raramente a causa da formação de pedras. Na verdade, vários estudos têm demonstrado que a restrição da ingestão de cálcio na maioria dos formadores de pedra, na verdade, aumenta o número de pedras que desenvolvem-se.

Mito 2. Eu posso tomar algo para dissolver minhas pedras

Para a maioria das pedras, incluindo as com oxalato de cálcio e pedras de fosfato de cálcio (80% de pedras), não existem medicamentos disponíveis que podem dissolve-las com êxito.

Em pacientes com pedras de ácido úrico (5-7%) medicamentos podem ser usados para ajudar a dissolve-las.  Contudo, mesmo nestes casos, a cirurgia é por vezes necessária para ainda remover ou tratar as pedras.

Mito suco 3. Cranberry vai me ajudar a prevenir pedras.

Embora o suco de cranberry pode ajudar na prevenção de infecção urinária de repetição, não parece ter um efeito benéfico para formadores de pedra.

Mito 4. Beber azeite e suco de limão vai ajudar a lubrificar minha pedra e ajudá-la passar.

Não há quaisquer estudos que mostrem que beber esta combinação (ou outros remédios caseiros semelhantes) pode melhorar a passagem de pedra. No entanto, existem alguns medicamentos que têm sido utilizados para acelerar a passagem de pedras com sucesso.

Mito 6. A água é o único líquido útil para ajudar a prevenir pedras.

Estudos sugerem que é o volume de líquido ingerido que é mais importante, não o tipo de líquido. Mesmo refrigerantes parecem não aumentar o risco.

Mito 7. As pedras nos rins estão relacionados com pedras da vesícula biliar (cálculos biliares).

Embora ambos sejam considerados pedras, cálculos biliares e pedras nos rins não estão de alguma forma relacionados.

Mito 8. Eu não deveria ter pedras nos rins, porque ninguém na minha família teve.

Enquanto aqueles com história familiar de pedras tem 2,5 vezes maior risco de formação de pedra do que indivíduos sem história familiar, a maioria dos formadores de pedra, na verdade, não tem história familiar.para editar


O que é e o que faz um urologista?

May 21, 2017

O que é urologia? 

Urologia estuda as condições do trato urinário e do sistema reprodutor masculino. Embora seja geralmente classificada como uma especialidade cirúrgica, urologistas exigem o conhecimento de outras especialidades, como ginecologia e medicina interna, devido à grande variedade de problemas clínicos que eles têm de lidar.
Os urologistas tratam condições que afetam o trato urinário em homens e mulheres, bem como o sistema reprodutivo masculino. O urologista tem formação como médico (6 anos de faculdade), cirurgião geral (2 anos de residência) e urologista (3 anos de residência). Depois deste período, deve submeter-se a prova de título pela Sociedade Brasileira de Urologia, para comprovar seus conhecimentos e habilidades.

A Associação Americana de Urologia (AUA) identificaram sete especialidades que compõem o campo da urologia:

Cálculos: o tratamento e prevenção de pedras que se formam dentro dos rins e se movem para os ureteres.
Uroginecologia: distúrbios do assoalho pélvico e incontinência urinária.
Infertilidade masculina: tratamento e correção cirúrgica de obstruções adquiridas e congênitas dos órgãos genitais masculinos.
Neurourologia: inclui disfunção erétil e impotência, avaliação urodinâmica dos pacientes e distúrbios da micção.
Urologia pediátrica: o tratamento de problemas urológicos das crianças.
Transplante renal: transplantes de rim devido a insuficiência renal.
Oncologia urológica: tratamento de câncer, como o câncer de bexiga, próstata, rim, testículos, adrenal ou pênis.


Como proceder em uma situação de urgência?

May 21, 2017

A urgência no dicionário médico consta como um estado patológico que se instala bruscamente em um paciente, causado por acidente ou moléstia e que exige terapêutica médica ou cirúrgica urgente. Que urge, que deve ser feito com rapidez.   A emergência representa uma situação com ameaça à vida, brusca e que requer medidas imediatas de correção.

Urgências urológicas incluem situações como cólica renal, hematúria, priapismo, torção de testículo, retenção urinária aguda, cistite, pielonefrite e outras infecções.

Caso ocorra uma situação de urgência ou emergência, recomendamos procurar um dos pronto-socorros onde atuam nossos profissionais (Hospital São Luiz Itaim, Hospital Santa Paula, Hospital Albert Einstein)  e solicitar que entrem em contato conosco através do telefone abaixo. Caso julgue necessário, entre em contato também pelo telefone de urgências da Clínica São Luiz: 99540-4703


O Viagra não funcionou! Mas será que você tomou corretamente?!

May 21, 2017

Caso você esteja usando medicamentos para disfunção erétil (DE) e não tem  funcionado, não significa necessariamente que não deu certo ou que você está sem sorte. Muitos homens que não respondem aos remédios para DE estão utilizando-nos incorretamente, segundo recente pesquisa.

Neste estudo, 69% dos indivíduos que relataram persistência dos  problemas mesmo após tomar medicamentos inibidores da PDE5, como Viagra, Cialis ou Levitra, estavam cometendo alguns erros quando ingeriam as pílulas.

Os pesquisadores ofereceram a estes pacientes um programa de “reeducação” para ajudá-los a entender melhor como eles deveriam usar os medicamentos. Dos que aceitaram, 77% passaram a ter bons resultados com as medicações.

E o que fazer para o Viagra funcionar?  Veja como otimizar o uso de medicamentos para DE:

1. Não espere um milagre.

A maioria dos homens sabe que esses remédios não farão mágica. Ainda assim, 3% por cento dos homens relatam não estar recebendo estímulo sexual suficiente quando usam as medicações.

Quando você chegar sexualmente excitado, seu cérebro envia um sinal através dos nervos para o seu pênis. Isso libera uma substância química no músculo do pênis, o que, em seguida, desencadeia a produção de um outro produto químico, e então os remédios para DE poderão trabalhar. Sem excitação, sem química.

2. Tome  mais do que o mínimo.

A menos que você tenha atingido a dosagem máxima, não assuma que os remédios para DE não irão funcionar para você, um erro compartilhado por 31% dos homens.

Pode ser tentador começar com a menor dose, mas na realidade pode não ser o suficiente para tratar o problema. E isso pode frustrar.

Exceção: Se você tiver outros problemas de saúde, como hipertensão, diabetes ou colesterol alto, o seu médico irá provavelmente começar com uma dose mais baixa para certificar de que você pode tolerar a medicação. Caso contrário, vale começar com dose mais alta e depois reduzir.

3. Não coma antes de ingerir a pílula.

Se você teve um grande jantar, a brincadeira pode ser comprometida. Mais de 20% dos homens cometem este erro, de ingerir Viagra ou Levitra muito cedo depois de comer.

Isso é um grande problema. Estes dois medicamentos funcionam melhor com o estômago vazio, por isso você precisa esperar pelo menos 2 a 3 horas após uma refeição completa para utilizá-los. Caso contrario, apenas metade da medicação será absorvida. Contudo, isto só é verdade para o Viagra ou Levitra. O Cialis, por outro lado, não apresenta qualquer restrição em relação à alimentação.

4. Espere um pouco para ter relações sexuais.

Você pode estar ansioso, mas realmente vale esperar. Cerca de 17% dos homens iniciam o sexo muito cedo depois de ingerir a pílula. Deve-se esperar pelo menos 1 hora após ingerir Viagra ou Levitra, e entre 2 e 3 horas para o Cialis. Estes são os momentos de efeito máximo. No entanto, podem haver efeitos passados 15 minutos, ou mesmo 12 horas após. Mas antes de brincar com o tempo é importante saber que a medicação funciona!

5. Teste o medicamento várias vezes.

Não funcionar no primeiro teste não significa falha. Cerca de 33% dos homens desanimam apos a primeira tentativa mal sucedida. A recomendação é de se testar pelo menos seis vezes a medicação antes de considerar-se a falha deste tratamento.

6. Teste mais de um medicamento.

Se você não obteve resposta com uma droga, você pode e deve tentar com outra. E justamente esta é uma das falhas mais comuns. Cerca de 40% dos homens que nao se adaptam a uma medicação, não testam outra.

É razoável supor que uma mudança irá beneficiar alguns homens, e é importante esgotar todas as opções de inibidores de PDE5, antes de passar para a próxima linha de tratamento (como as injeções no pênis).


Quatro coisas que todo paciente com câncer deve fazer:

May 21, 2017

4 Coisas que todo paciente com câncer deve fazer:

Inúmeros avanços têm sido obtidos no tratamento do câncer. Barreiras antes intransponíveis agora foram superadas e diversas vidas têm sido salvas todos os dias. E a maior verdade na batalha contra o câncer é que conhecimento é força!

1. Obtenha uma segunda opinião
Um paciente deve conhecer todas as formas de tratamento e sentir-se suficientemente informado sobre sua decisão terapêutica. O diagnóstico inicial nem sempre é o correto. E a segunda opinião de um especialista é a melhor forma de entender o diagnóstico, tratamentos e expectativas.

2. Encontre o médico certo
Obter orientações de um bom médico que saiba tratar de câncer é fundamental para estabelecer o melhor planejamento terapêutico.

3. Saiba o que perguntar
Entender o que está acontecendo é fundamental para o paciente participar e estar motivado para seu tratamento. Entender o diagnóstico, as opções terapêuticas, possíveis efeitos colaterais, a experiência de quem está tratando são informações essenciais.

4. Esteja pronto para a luta
O corpo e a mente devem estar prontos para a luta. Quanto mais forte você estiver durante o tratamento, mais preparado para tolerar possíveis efeitos colaterais e dificuldades. A mente equilibrada, o corpo equilibrado e uma dieta balanceada são fundamentais. Terapias associadas/alternativas podem auxiliar no fortalecimento e superação, e têm muito valor.


Pedra nos rins: quais os vilões da alimentação disfarçados de mocinhos?

May 21, 2017

Há diversos motivos que podem levar um indivíduo a ter cálculos renais, e sem dúvida nenhuma o maior vilão de todos é o sal. Contudo, alguns alimentos ricos em oxalato podem aumentar o risco da formação de cálculos renais, principalmente se consumidos em grandes quantidades e em indivíduos já com níveis elevados de oxalato urinário. Abaixo listamos alguns destes vilões, que muitas vezes disfarçam-se de mocinhos, principalmente por apresentarem algumas propriedades benéficas e rótulo de alimentos saudáveis.


Informações práticas sobre a vasectomia

May 21, 2017

A vasectomia é um procedimento cirúrgico de pequeno porte, feito para tornar um homem estéril (incapaz de ter filhos). O procedimento é geralmente realizado por um urologista, especialista que lida com o sistema reprodutivo masculino. A vasectomia consiste no corte ou bloqueio dos canais deferentes, o tubo que transporta os espermatozóides dos testículos para ser adicionado ao sêmen, nas vesículas seminais. Existem dois canais deferentes, um para cada um dos testículos. Uma vez que os canais deferentes são cortados ou bloqueados, os espermatozóides não podem chegar do testículo ao reservatório onde são armazenados. É a combinação de espermatozóide e secreções da próstata que permitem ao espermatozóide sobreviver até sua chegada ao óvulo. Durante a ejaculação, o sêmen é ejetado através do ducto ejaculatório e através do pênis, quando ocorre o orgasmo. Depois de uma vasectomia, um homem continua a ter ereções normais, a relação sexual normal e ejaculações normais de sêmen, mas no ejaculado não há  mais espermatozóides e portanto não é mais possível  engravidar uma parceira sexual.

Milhões de vasectomias são realizadas a cada ano, e o procedimento em geral leva de 20 a 30 minutos. Geralmente é realizada sob anestesia local, preferencialmente com um sedativo. Na maioria das vezes é realizada em caráter ambulatorial, ou seja sem necessidade de permanecer mais do que algumas horas no hospital.

A vasectomia destina-se a produzir esterilização permanente. Quando há necessidade de revertê-la, uma microcirurgia pode ser realizada para restaurar a fertilidade. Contudo, não há garantia de que a fertilidade após a reversão de uma  vasectomia será bem-sucedida. Este procedimento é eficaz em apenas cerca de 70% dos casos. Outras possibilidades para ter filhos após uma vasectomias incluem a aspiração de espermatozóides diretamente do epidídimo (ao lado do testículo), ou eventualmente o congelamento de sêmen em banco de sêmen antes da vasectomia.. A vasectomia é usada para esterilização masculina (controle de natalidade). Depois de uma vasectomia, um homem pode continuar a ter ereções normais, relação sexual e ejaculação, mas ele não será capaz de ter filhos. Não há nenhuma alteração no desejo sexual ou libido após uma vasectomia. É importante ressaltar que quando há dúvida sobre ter filhos no futuro, há outros métodos mais recomendados do que a vasectomia

Preparação

O preparo para a vasectomia consiste em jejum de 8 horas e eventualmente suspensão de medicações de uso contínuo.

Como é feita

Depois de injetar um anestésico local, a vasectomia é realizada utilizando um dos dois métodos:

Vasectomia tradicional – Usando um bisturi, o cirurgião faz uma ou duas pequenas incisões (cortes) na pele do escroto (o saco que contém os testículos) para acessar os canais deferentes de cada testículo. Uma vez que os canais deferentes são expostos, são cortadas para impedir a passagem dos espermatozóides. Diferentes técnicas incluem o corte dos ductos amarrando as extremidades, queimando os ductos com eletrocautério ou bloqueando-os com grampos cirúrgicos. As duas pequenas incisões no escroto são então fechadas com um ponto.

Vasectomia sem bisturi – Nesta abordagem menos invasiva, apenas pequenos furos na pele são necessários. O cirurgião faz um ou dois furos para acessar os canais deferentes. Em seguida, o cirurgião corta ou bloqueia cada vaso deferente. O ponto de punção pode ser coberto com curativo ou um ponto.

Após a vasectomia

Após a vasectomia pode haver algum desconforto leve na área. Isso geralmente pode ser aliviado com repouso, gelo e analgésicos.

Após a vasectomia, em geral leva dois meses para não mais haver espermatozóides no sêmen. Portanto, deve-se utilizar outra forma confiável para controle de natalidade até a confirmação da esterilidade. Isso é feito através da verificação de uma amostra de sêmen (espermograma), confirmando ausência de espermatozóides móveis.

Riscos

A maioria dos homens recupera-se de uma vasectomia sem quaisquer problemas. Às vezes, complicações menores pode ocorrer, incluindo infecções, sangramentos, hematomas ou inchaço. Raramente, pode ocorrer da vasectomia falhar para esterilizar completamente o homem, e eventualmente pode ser necessário repetir uma vasectomia.


Como tratar cálculo urinário? FAZENDO MAIS SEXO!

May 21, 2017

Um recente estudo realizado na Turquia demonstrou uma forma inusitada e eficiente de tratar cálculos no ureter (ureterolitíase). Os autores avaliaram 90 pacientes com cálculos na porção final do ureter, e os dividiram em três grupos: um dos grupos tomou a medicação tamsulosina, outro analgésicos e um terceiro foi orientado a manter relações sexuais 3 a 4 vezes por semana. Após duas semanas, os pacientes que mantiveram relações sexuais eliminaram os cálculos em 84% das vezes, comparado com 48% dos que tomaram tamsulosina e 35% para os que receberam analgésicos.


Cuidado! Alguns alimentos pretensamente saudáveis podem ser prejudiciais se você tem cálculos renais.

May 21, 2017

Qualquer um que já teve uma cólica renal pergunta-se como algo tão pequeno causa tanta dor. Há formas eficientes de evitar-se os cálculos, e é possível realizar uma avaliação de forma individualizada. A seguir, colocamos alguns fatores que pioram a formação de cálculos:

Comer pouco cálcio

Como o cálcio está presente na maioria dos cálculos renais, faz sentido apenas cortar-se o direito de nutrientes fora de sua dieta, certo? Não. Esse foi o pensamento antigamente. Atualmente sabemos que as pessoas que consomem mais cálcio são menos propensos a ter uma pedra nos rins do que aqueles com dietas pobres em cálcio.

Obsessão por salada

Você come todas as coisas certas, correto? Mas nem tudo que é verde é bom para todos, principalmente por conta do oxalato. Esta substância é encontradas em verduras como espinafre, ruibarbo, e beterrabas. Idealmente, esse oxalatos irá ligar-se com o cálcio no seu intestino e ser transportado para fora do seu corpo através do seu trato urinário. Mas quando a quantidade de oxalatos é demasiado elevado, estes produtos químicos podem concentrar-se na urina e levar a formação de cálculos.

Dieta salgada

Alem de todos os possíveis problemas causados ​​pelo excesso de sal, pedras nos rins incluem-se aí. Com o aumento da ingesta de sódio, aumenta também a quantidade de cálcio na urina e isto aumenta o risco de formação de pedra nos rins. Deve-se limitar o consumo de sódio a 2.300 miligramas por dia, no máximo.

Poucas frutas cítricas

Se você não consegue se lembrar da última vez que você comeu um limão ou laranja, considere esta uma razão para a sua ingestão: Frutas cítricas contêm um composto chamado citrato, que ajuda a diminuir o risco de pedras nos rins.

Muita carne

O excesso na ingesta de carne vermelha e mesmo de aves aumenta o risco de pedras

Muito chá

O chá preto também é uma importante fonte de oxalato, que leva a formação de pedras nos rins.

Uso de laxantes

O uso excessivo de laxantes pode interferir com a capacidade do organismo de absorver nutrientes e medicamentos, e também pode levar a um desequilíbrio eletrolítico e associa-se à formação de pedras nos rins.

Medicação para enxaqueca e para emagrecer

As pessoas que tomam topiramato (Topamax) podem ser mais propensos a ter pedras nos rins do que aqueles que não tomam este medicamento, por alteração no pH e citrato urinários.

Cirurgias bariátricas e para perda de peso

Embora seja verdade que a obesidade aumenta o risco de pedras, a cirurgia bariátrica leva a maior risco de formação de cálculos, tanto por alteração na ingesta de liquidos como no metabolismo do oxalato.