Phone
(11) 5561-5241 / 5531-0726

Cálculo renal

O que são cálculos renais?
Cálculos renais são pedras que formam-se dentro dos rins.

Quais são os sintomas de pedras nos rins?

Às vezes as pedras nos rins não causam sintomas. Outras vezes podem causar sangue na urina e/ou dor lombar ou abdominal. Quando as pedras nos rins são grandes ou dependendo da posição em que se encontram, podem causar problemas como a obstrução ao fluxo de urina.

Por que as pedras nos rins ocorrem?

Mais de 90 % dos indivíduos com pedras nos rins têm uma anormalidade química do sangue ou de urina, que leva a uma tendência a formar as pedras . Em geral, hábitos como o de beber pouca água ou outros fluidos também podem contribuir para a formação de pedras. A ingestão inadequada de fluidos faz com que os rins produzam menos de urina, que torna-se altamente concentrada. Quanto menor o volume diário de urina, maior a chance de uma pessoa formar pedras nos rins. Isto é especialmente verdadeiro se houver alterações metabólicas associadas.

Todas os cálculos renais são iguais?

Não. Há diversos tipos de cálculos renais, e um número ainda maior de anormalidades que podem levar a sua formação. Dentre estes tipos de cálculos, os mais comuns são:

Cálculos de cálcio: são as mais comuns, e associam-se a urina com elevada concentração de cálcio, oxalato, urato ou pouco citrato.  Hábitos como ingesta excessiva de sal e proteínas animais aumentam as chances destas pedras se formarem.

Cálculos de estruvita (ou cálculos coraliformes): associam-se a infecção crônica da urina por bactérias que podem provocar uma alteração química e conduzir à formação deste tipo de pedra .

Cálculos de ácido úrico : estas pedras formam-se na urina mais ácida, em indivíduos que geralmente têm o ácido úrico no sangue elevado. É mais comum em quem tem diabetes e obesidade.

Cálculos de cistina: estas pedras formam-se em pessoas que têm uma doença hereditária chamada cistinúria. Nesta situação, o corpo não consegue eliminar adequadamente uma substância química chamada cistina do sangue. Geralmente , outros membros da família têm o mesmo estado .

Há distintos tratamentos de acordo com o tipo de distúrbio metabólico e o tipo de cálculo que ocorre.

Como as pedras nos rins são diagnosticada?

Se há suspeita de haver pedras nos rins, seja por causa de dor ou de sangue na urina, podem ser necessários exames como radiografias, ultrassom ou tomografia.

Como as pedras nos rins são eliminadas?

Em muitos casos, uma pessoa pode eliminar os cálculos espontaneamente pela urina. Este pode ser um processo doloroso, e pode levar alguns dias. Geralmente, o urologista prescreve medicações para controlar a dor e aumentar a chance de eliminação destas pedras.

Quando a pedra não pode ser eliminada, há tratamentos para auxiliar em sua remoção, de acordo com cada situação específica:

– tratamentos endoscópicos: ureterolitotripsia ou ureterorrenoscopia, fragmentando-se a pedra com laser e extraindo-se os fragmentos.

– Litotripsia com ondas de choque (LECO), em que a pedra é esmagada ou fragmentada com o intuito de que seja eliminada pela urina.

– Cirurgia renal percutânea (ou nefrolitotripsia): através de uma punção, introduz-se uma câmera no interior do rim para possibilitar a fragmentação e remoção do cálculo.

– Cirurgia aberta ou laparoscópica

Como prevenir pedras nos rins ?

Beba mais líquidos : Beber 8-10 copos de líquido por dia ajuda a manter a urina diluída – o que reduz a concentração de minerais na urina. Pelo menos metade do líquido deve ser de água, os outros líquidos podem ser qualquer bebida que você goste.

Reduzir a quantidade de sal que come: Reduzir o sal (sódio) na dieta contribui para reduzir a quantidade de cálcio na urina, o que por sua vez reduz a tendência para a formação de pedras. Redução de sal na dieta é realizada não adicionando sal à sua comida e evitando os alimentos com alto teor de sódio, como carnes processadas, alimentos de prontos salgados (sopas,  enlatados, macarrão instantâneo) e salgadinhos.

Certifique-se a sua dieta contém quantidades adequadas de cálcio: Há um mito de que quem tem cálculo renal deve evitar alimentos com cálcio. Na realidade, quem ingere pouco cálcio tem uma tendência maior de ter cálculos renais.

Em situações específicas, podem ser necessários medicamentos para reduzir a chance de ocorrência ou recorrência dos cálculos renais. Há opções diferentes de medicamentos de acordo com cada distúrbio metabólico.